Soja e novas fronteiras agrícolas garantem a expansão da safra de grãos 2013/2014

Levantamento da Conab e do IBGE apontam crescimento na produção nacional de grãos

Os números da safra de grãos do ciclo 2013/2014 devem se equiparar ao volume recorde registrado na colheita do ano passado. A perspectiva foi sinalizada pelos principais indicadores de desempenho da produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas. Assim como nas temporadas anteriores, apesar de condições climáticas desfavoráveis em alguns estados, as lavouras de soja devem ser o grande destaque para esse resultado – mesmo em regiões que até então não se destacavam na sojicultora.

De acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil deverá produzir 188,7 milhões de toneladas de grãos, crescimento de 0,7% em relação a 2013. As lavouras de soja contribuirão com 85,44 milhões de toneladas, um incremento de 4,8% na mesma base de comparação. Essa foi a sexta projeção realizada pelo órgão para essa safra. Isso porque, apesar da expansão sinalizada, a estiagem e as elevadas temperaturas durante o plantio no Paraná somadas às recentes chuvas que coincidiram com a colheita em Mato Grosso, fizeram com que o órgão revisse os levantamentos anteriores.

Ao comparar as projeções divulgadas em março com o quinto levantamento feito pelo Conab apresentado em fevereiro, a redução no volume de soja produzida foi de 5%. Entretanto, mesmo com essa retração, o Brasil ainda apresenta desempenho superior as 81,5 milhões de toneladas de soja colhidas em 2012/2013. “Ainda assim é um resultado recorde. Nos próximos anos, iremos consolidar nossa superioridade sobre a produção norte-americana, que sofre com a falta de áreas para expansão da soja. É uma questão de tempo, em mais uma ou duas safras isso certamente vai acontecer”, opina Francisco Olavo Batista de Sousa, gerente da Área de Levantamento de Safra da Conab.

Novas áreas

O total de novas áreas destinadas ao plantio de grãos no Brasil deve chegar a 55 milhões de hectares, o que representa uma alta de 4% em relação aos 53,28 milhões de hectares do ciclo 2012/2013. A soja teve maior crescimento, com acréscimo de 7,4% na área plantada, passando de 27,7 para 29,8 milhões de hectares. Dentre as principais regiões produtoras de grãos do país, sobretudo de soja e milho, o Conab destaca a crescente expansão e produtividade das lavouras do polo agrícola do MATOPIBA, que envolve as regiões do Sudeste do Maranhão, Nordeste do Tocantins, Sul do Piauí e Oeste da Bahia.

Atualmente a produção de soja e milho nessa nova fronteira agrícola representa aproximadamente 10% da oferta nacional desses produtos – a quarta mais significativa. “Nos últimos anos o MATOPIBA tem crescido graças à forte demanda por abastecimento dos estados do Nordeste. Além disso, a similaridade de solo e o microclima possibilitam que os produtores da região utilizem, por exemplo, pacotes tecnológicos similares aos aplicados no estado de Mato Grosso”, detalha o gerente da Conab.

O cenário para a safra de grãos 2013/2014 também é positivo na perspectiva do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cujas projeções do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado em março, indicam produção de 190,3 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas. Trata-se de uma expansão de 1,1% em relação a 2013. Dentre os 26 produtos monitorados pelo instituto, 12 deles registrarão aumento na produção, com destaque para a soja, com projeção de colheita 8,3% maior do que em 2013.

A cultura do milho segue na contramão destes resultados nas projeções para as duas safras deste grão. A Conab calcula que na primeira e segunda safra a retração deverá ser de 9,1% e 6,8%, respectivamente. Já na projeção do IBGE, a safrinha deve ser 3,4% menor do que em 2013, enquanto a segunda safra vai reduzir 9,5%. Esse resultado reflete uma diminuição na área destinada ao plantio da cultura, cujos preços acabaram incentivando os produtores a priorizarem a soja e outras culturas.